VEREADOR CLEIGTON BARROS TRAI GRUPO POLÍTICO QUE SE ELEGEU COM INTUÍTO DE SE TORNAR PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE BENEDITO LEITE

O Vereador Cleigton Barros eleito em 2016, com 278 votos, pela Coligação do Grupo Político do Prefeito Ramon Barros e Walber Barros, traiu o grupo pelo qual se elegeu com o propósito de se tornar Presidente da Câmara Municipal de Benedito Leite. O vereador fechou acordo com o grupo liderado pelo ex-prefeito Júnior Coelho, o qual o Vereador Cleigton afirmava veementemente não querer nenhum acordo e não voltar a participar. Entretanto, contrariando as expectativas de Cleigton Barros, os vereadores que minutos antes haviam se encontrado para firmar compromisso com ele, não mantiveram o acordo e nenhum deles votaram no mesmo para presidir o Poder Legislativo Municipal, sinal evidente que o vereador não goza de uma boa aceitação entre seus pares.
Após ter sofrido derrota em duas eleições seguidas para o legislativo municipal, Cleigton Barros só se elegeu por causa do grupo político liderado pelo Prefeito Ramon Barros e agora com a sua saída do grupo ficou evidente que o mesmo deve retornar ao seio político do seu amigo e padrinho político Júnior Coelho. No processo para se tornar presidente da Câmara Municipal ainda foram envolvidos Lucas Coelho e o Deputado Federal eleito Edilázio Júnior, mesmo assim o vereador amargou uma grande derrota na eleição realizada ontem (14/12) para presidência da Câmara Municipal. O Vereador Demar J, apoiado pelo grupo do Prefeito, foi eleito com 5 votos e a oposição ficou dividida: a Vereadora Aparecida obteve 3 votos e Cleigton apena 1 voto (o dele próprio).
Para o grupo político liderado pelo Prefeito Ramon Barros e seu pai Walber Barros, a saída do Vereador Cleigton do grupo já era esperada, uma vez que o mesmo vinha manifestando interesse em voltar para o seu berço político, onde ele jamais tinha conseguido se eleger. Amigos e pessoas ligadas ao vereador manifestam nas rodas de conversas em Benedito Leite, que a traição política poderá dificultar futuras pretensões políticas do vereador.

Deixe uma resposta