Empresário diz que pegou Daniel na cama com esposa gritando, mas só matou ao ver celular Ele está preso ao lado da esposa e da filha; família do jogador preferiu não se manifestar

Brasil Policial

O comerciante Edison Brittes Junior, de 38 anos, assumiu que matou o jogador de futebol Daniel Corrêa Freitas, de 25 anos, segundo informou Claudio Daledone, advogado de defesa dele. De acordo com a versão de Brittes, ele arrombou a porta ao escutar a esposa pedindo por socorro e viu Daniel sobre ela, a estuprando. A decisão de matar o jogador só veio, segundo a versão da defesa, quando o marido viu as mensagens de Daniel trocadas com um amigo, em que dizia que havia tido relações sexuais com a esposa Cris Brittes.

O comerciante, que tem um mercado em São José dos Pinhais, se apresentou à polícia nesta quinta-feira (1]. Ele foi detido e acompanhou a equipe da polícia até o local onde o corpo foi abandonado na Colônia Mergulhão, em São José dos Pinhais. A esposa foi detida na noite de quarta-feira (31), no momento em que seguia para o escritório do advogado. Cris foi presa em posto de combustível, já que a polícia monitorava o celular dela. O marido só não foi preso porque já estava no escritório do advogado, que negociou a entrega para esta quinta-feira. A filha, Allana Brittes, de 18 anos, também foi detida.

A versão apresentada por Edison Brittes é de que 11 pessoas estavam na festa de aniversário da filha, na casa dele, incluindo o jogador Daniel. Ele diz que, em determinado momento, notou que Daniel havia sumido. Foi aí que ouviu gritos da esposa, pedindo socorro. Daledone informou que seu cliente foi até o quarto e a porta estava trancada. Ele arrombou e, segundo disse, viu Daniel de camiseta e cueca sobre a esposa, a estuprando.

Daniel trocou mensagens com amigo momentos antes de morrer; veja o que ele disse
Advogado diz que cliente matou jogador Daniel para defender esposa de tentativa de estupro
O advogado disse que, na sequência, Brittes começou a espancar Daniel e outros três amigos vieram e bateram também. O jogador ficou desacordado e foi levado para o carro e jogado no porta-malas do Veloster do empresário.

Porta do quarto da família Brittes arrombada – Divulgação da defesa
A versão do empresário é de que a intenção seria apenas abandoná-lo, vivo, em algum lugar. Porém, no trajeto, ele viu as mensagens que Daniel tinha trocado com um amigo pelo WhatsApp. As mensagens mostravam a esposa dormindo ao lado do jogador e também uma conversa em que ele falava que ia transar com a esposa do dono da casa.

Neste momento, segundo informou Daledone, seu cliente ficou louco e decidiu matar Daniel. Pegou uma faca e arrancou o pênis dele. Logo em seguida atingiu o pescoço.

Ao lado da polícia, nesta quinta-feira, Brittes contou que jogou o órgão genital, que foi achado pendurado em uma árvore.

Vinda para Curitiba

Daniel, que jogava no São bento, estava de folga e veio para Curitiba na sexta-feira (26) para a festa de aniversário de Allana Brittes, numa casa noturna no Batel. Ele estava tendo um relacionamento com uma amiga de Allana. Da casa noturna, ele, amigos e a família seguiram para a casa dos Brittes no bairro Guatupê, Lá, que tudo aconteceu.

Família do jogador
A Banda B entrou em contato com a família do jogador. A informação é que neste momento ninguém vai se manifestar.

A polícia vai dar mais detalhes do caso nesta quinta-feira em entrevista coletiva.

Assista ao vídeo divulgado pela defesa com o momento em que Brittes (de camisa roxa) mostra à polícia onde deixou o corpo:

Banda B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *