Médico é indiciado por homicídio doloso em atendimento

Policial


Ministério Público de Imperatriz indiciou o médico Dr. Márcio Alves Urzêrda por homicídio doloso (Quando há a intenção de matar) no processo de Nº 3324-29.2017.8.10.0040.
Exame pericial indicou atendimento inadequado e negligência médica. 

O Ministério Público de Imperatriz através de sua promotora de Justiça Dra. Raquel Chaves Duarte, concluiu as investigações sobre a morte de Marina Kiyokawa de Paiva, de 68 anos, mãe do Suplente de vereador e empresário, João Paiva Júnior, que morreu após passar por procedimento cirúrgico no hospital particular Santa Mônica em Imperatriz. A família Paiva, suspeitando da conduta do médico, Dr. Márcio Alves Urzêda, procurou a Delegacia de Polícia e MP e representou contra o médico, alegando erro, omissão e mal tratos a paciente.

O exame pericial, segundo os peritos do MP, indicou que o procedimento de atendimento à vítima, pelo médico foi totalmente inadequado, e houve, ainda, omissão, imprudência e negligência médica.

O MP, através dos seus peritos, concluiu que a conduta do médico contribuiu para a morte da paciente.

O profissional atuava no Hospital Santa Mônica e foi indiciado por homicídio doloso (quando há intenção de matar), uma vez que conforme apurado, sua conduta foi negligente e imperita.

Entrevistado, o filho da paciente, João Paiva Júnior, afirmou ao Jornal O Portal que antes de falecer, sua mãe foi maltratada  no hospital Santa Mônica e que lutará por justiça em todos às esferas do direito.

Fonte: 1ª Vara Criminal de Imperatriz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *